Cases e Resultados

Estelionato Sentimental: fique atento!

A era digital trouxe consigo a facilidade na comunicação e como consequência, o estreitamento das relações, já que permite o contato com pessoas do outro lado do globo sem a necessidade da proximidade física.


Contudo, tem-se os riscos do uso desenfreado desse espaço virtual, o que para muitos significa dizer que a internet é uma “terra sem lei”, pois permite a criação e compartilhamento de conteúdo sem o devido controle pelas autoridades. Além disso, o fato de estar “atrás” de um eletrônico, facilita a atuação de golpistas, que manipulam dados para atacarem as suas vítimas.

Esses indivíduos atuam em diversos campos dentro da rede, entretanto, as mídias sociais auxiliam ainda mais a sua atuação, já que é através desse canal que as pessoas buscam novas relações, estando dispostas a dividir informações sobre as suas vidas pessoais com outros usuários.

É nesse contexto que esses criminosos agem, trazendo pouco a pouco a vítima para si, fazendo promessas e por vezes, oferecendo vantagens para se criar confiança e assim, através do laço gerado é que o golpe é aplicado. Na maioria das vezes, a vítima só percebe a armadilha que caiu após ter tido um grande prejuízo financeiro e psicológico.

Em razão disso, além dessa ação criminosa enquadrar-se como estelionato, nesse caso, chamada de “estelionato sentimental”, a vítima ainda poderá buscar a indenização material e moral na esfera cível, já que tal ação se adequa aos artigos 186 e 187, que versam acerca da prática de dano à outrem, bem como como da quebra da boa-fé, obrigando o causador a reparar o dano, vide artigo 927, ambos do Código Civil Brasileiro.

Nesse sentido, repercutiu a decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que em sede recursal, manteve a condenação do réu ao pagamento de R$ 4 mil a título de danos morais e a ressarcir a quantia de R$ 23.227,00, referente aos danos materiais (fonte:https://www.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2022/janeiro/turma-mantem-indenizacao-a-vitima-de-estelionato-sentimental).

Diante disso, não tenha medo ou vergonha de buscar um advogado de sua confiança para lhe auxiliar!

Suziane Meneghetti da Silva